Atendimento gratuito de diagnóstico do diabetes

Em Goiânia, unidade da rede Pague Menos, oferece teste de glicemia, aferição de pressão arterial e exame de colesterol, para diagnóstico do diabetes

Mais de 10 mil pessoas já morreram nesta década, em Goiás, vítimas do diabetes. Nos últimos oito anos, o número de mortes causadas pela doença anualmente no Estado saltou de 1.353 óbitos em 2010, para 1.637, em 2016, aumento superior a 20%. Os números são do Ministério da Saúde. Para auxiliar no combate ao problema, a rede de drogarias Pague Menos realizará até o dia 30 de novembro, em sua recém-inaugurada unidade no Órion Shopping, que integra o Órion Business & Health Complex, em Goiânia, testes gratuitos de glicemia, aferição de pressão arterial, medição de altura e peso e da circunferência abdominal. Os atendimentos serão gratuitos e ocorrerão das 7 horas às 23 horas.

De acordo com a supervisora de farmácia Leiliane Santos, especificamente neste dia 14, serão oferecidos também o exame de colesterol e ainda fazer o teste de lipidograma, que mede com precisão as dosagens de colesterol e triglicerídeos.

A ação da drogaria faz parte de uma mobilização em todo o Brasil que marca as atividades do Dia Mundial do Diabetes, comemorado em 14 de novembro, e visa descobrir novos casos da doença. Nesse mutirão, do qual devem participar ao menos 408 farmácias do País, o Conselho Federal de Farmácia (CFF) pretende atender, em todo o território nacional, ao menos 11.750 pessoas de ambos os sexos, com idade entre 20 e 79 anos, sem diagnóstico prévio.

Além dos 14 milhões de brasileiros que declaram ter diabetes, a organização global Internacional Diabetes Federations (IDF) estima que outros 5,7 milhões não sabem que são portadores da doença. Nas projeções dessa entidade, mais 14,6 milhões de pessoas podem vir a desenvolver a síndrome.

De acordo com o CFF, os casos suspeitos serão encaminhados ao médico para elucidação do diagnóstico e tratamento, quando necessário. O diabetes, quando não tratado, tende a gerar complicações no sistema cardiovascular e insuficiência renal crônica. Nos casos mais graves, o paciente pode ser submetido a cirurgias para amputações dos membros inferiores.

Obesidade, sedentarismo e alimentação inadequada são alguns dos fatores que podem levar ao desenvolvimento do diabetes tipo 2. É o tipo mais comum, que acomete 90% dos portadores, atingindo sobretudo adultos. O diabetes tipo 2 é uma doença progressiva, com evolução influenciada também pelo estilo de vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *