Comitê de Enfrentamento à Influenza em Goiás

Secretaria Estadual de Saúde institui Comitê de Enfrentamento à Influenza em Goiás e atualiza o boletim SRAG – Síndrome Respiratória Aguda Grave/H1N1

Devido ao registro de casos de Influenza A com antecipação da circulação dos tipos graves de vírus gripal, no estado de Goiás, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) instituiu no último dia 28 de março, o Comitê de Enfrentamento à Influenza 2018. De acordo com o órgão, os membros e atribuições do referido Comitê estão descritos em portaria da SES-GO a ser publicada essa semana.

O Boletim de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), atualizado semanalmente e publicado no portal da SES-GO apresenta até o momento, 50 casos de Influenza A, sendo 44 causados pelo vírus H1N1, 5 pelo H3N2 e 01 caso pelo Influenza B. Houve 04 mortes confirmadas por Influenza A, dentre as quais 03 óbitos foram confirmados pelo vírus H1N1 e 01 por H3N2.
Outros 92 casos de SRAG estão em investigação, para definir o agente causador. Confira o Boletim neste link.

A SES-GO esclarece que essa é a época da circulação dos vírus gripais, sendo que em 2017, no mesmo período (semana 13) havia 235 casos de SRAG, sendo 28 por Influenza A (sendo 20 casos pelo H3N2, 6 pelo Influenza B, apenas 1 pelo H1N1 e um por um vírus Influenza A não subtipado) e, como maior registro, os casos de SRAG provocados pelo Vírus Sincicial Respiratório com 57 casos.

A principal medida de prevenção é a vacina a ser disponibilizada pelo Ministério da Saúde, segundo informe do dia 28 de março de 2018, aos grupos prioritários a partir do dia 23 de abril. De acordo com o MS haverá atraso na chegada da vacina ao país e portanto, haverá alteração no calendário inicialmente previsto.

O Comitê de Enfrentamento terá a segunda reunião nesta terça-feira dia 03 de abril às 15 h para acompanhamento e monitoramento dos casos e para ajustar todos os detalhes tanto na assistência, capacitação de profissionais, distribuição de vacinas etc. A SES-GO também formulou um Plano de Contingência, apresentado ao Ministério Público e Ministério da Saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *