Liderança e gestão de consultório odontológico

Gestão de consultório odontológico é desafio para profissionais da área, que saem da faculdade sem as noções necessárias para comandar equipes

Por Marcela Santana, de Goiânia/GO

No Brasil, existe quase meio milhão de dentistas registrados no Conselho Federal de Odontologia (CFO). No estado de Goiás, o número de profissionais chega a 20 mil. Em Goiânia, são quase 7 mil profissionais ligados ao Conselho Regional de Odontologia de Goiás (CRO-GO). Muitos deles seguem pelo caminho da gestão e montam consultórios e clínicas depois de concluir a graduação. Somente na capital goianiense existem 435 entidades que prestam serviços ortodônticos, além de cerca de 40 laboratórios de prótese dentária, de acordo com dados do CFO.

Ao se deparar com o desafio da gestão, profissionais de odontologia revelam que é preciso haver uma busca constante por qualificação e profissionalização do negócio, uma vez que a graduação deixa uma lacuna a respeito disso. Foi o que aconteceu com o Dr. Henrique Taniguchi, que integra o time de cerca de 90 profissionais goianienses credenciados no Conselho como especialistas em cirurgia bucomaxilofacial.

“A grande importância da gestão, principalmente, é pelo fato de que muitas pessoas aprendem na faculdade só a atender. Mas saber atender e não ter conhecimento administrativo é um grande problema, não só da área de saúde, mas de profissionais de uma forma geral não terem a disciplina de gestão durante a graduação”, afirma o empresário.

Qualificação contínua e mensuração

Aos 37 anos, com mais de 10 anos de experiência de mercado e mais de 23 mil pacientes atendidos no Centro de Cirurgia Oral, clínica em que é sócio-proprietário, Henrique Taniguchi se orgulha de ter no currículo o certificado do Colégio Brasileiro de Cirurgia como melhor aluno de cirurgia da graduação. Além disso, é mestre e especialista em Implantodontia e especialista em cirurgia bucomaxilofacial. Mas o desafio de ser um dos líderes de uma clínica com 30 funcionários o mantém com foco ainda maior na necessidade de constante aprimoramento profissional.

Para o cirurgião, muitos colegas são bons profissionais, mas não deslancham na administração de um consultório, não por falta de conhecimento técnico, mas pela falta de conhecimento gerencial. “A gestão é fundamental para o quesito pessoal e muito mais para o profissional. As pessoas não conseguem sequer calcular as finanças pessoais, o que é muito importante”, avalia Taniguchi, que acaba de concluir mais um curso de especialização, dessa vez um MBA em Liderança Organizacional, e também é master coach.

“É necessário mensurar em números para entender o que não está legal e o que pode ser feito para melhorar, porque se não fica tudo no achismo e na boa vontade. A gestão ensina a gente a fazer isso. A organizar cada vez mais para evoluir profissionalmente e para que a sua empresa cresça”, explica o empresário.

Henrique acredita que para ter sucesso na gestão do próprio negócio é necessário saber gerenciar os custos operacionais, traçar metas, projetar o crescimento, prospectar parcerias, estratégias de marketing e ter o retorno do paciente pós-atendimento. De acordo com o profissional, ter todas as informações reunidas em planilhas auxilia na geração de um banco de  dados que serve para decisões administrativas.

Doutor do juízo

Ao lado do Dr. Luís Francisco Coradazzi, o Dr. Taniguchi consolidou um modelo de gestão que alia diálogo, investimento no corpo de funcionários e qualidade no atendimento a um valor justo. O Centro de Cirurgia Oral hoje é referência na extração de dentes inclusos e em reabilitações com implantes dentários em Goiânia. Taniguchi é conhecido como o “doutor do Juízo” por realizar a extração de quatro dentes sisos de maneira rápida e com qualidade. Em um mês, conseguiu realizar em média 300 extrações, além de cirurgias de implantes e outros procedimentos em pacientes do Brasil e do exterior.

Com medo de retirar os dentes sisos, o jornalista Tyrone Cavalcanti procurou o Dr. Henrique Taniguchi para uma avaliação e, depois da consulta, se sentiu seguro para fazer o procedimento. “ Um amigo me indicou o doutor Henrique devido ao pavor que eu tinha em retirar os sisos, apesar da extrema necessidade. E, logo na primeira consulta, eu me senti seguro para fazer o procedimento devido às explicações que ele me passou. Em um primeiro momento a informação de que duraria menos de 10 minutos me assustou, mas foi mais rápido ainda. Em 8 minutos o procedimento tinha sido finalizado e fui para casa seguir o pós-cirúrgico, que também foi muito tranquilo”, comenta Cavalcanti.

Além de administrar a empresa, gerir a equipe, e atender aos pacientes Taniguchi lançou recentemente um canal no Youtube com o objetivo de orientar a população sobre a importância da saúde bucal e, de forma objetiva, tirar dúvidas sobre o tratamento odontológico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *