Novo método de prevenção contra a Aids

Infectologista Luciana Barreto ministra palestra em Goiânia, Goiás, sobre um novo método de prevenção contra a Aids, no mês dedicado ao tema

Em todo o mundo 37 milhões de pessoas vivem com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) que é o causador da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids). Destes, estima-se que 860 mil vivam no Brasil, segundo estatística do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS). Para fazer alusão ao mês dedicado à luta e combate da doença, o Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT), da SES – Governo de Goiás, gerido pelo Instituto Sócrates Guanaes (ISG), por meio do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmt), promoveram no último dia 18 de dezembro, no auditório da unidade, uma palestra com a infectologista, Luciana Barreto sobre um novo método de prevenção da Aids.

A Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) é um novo método de prevenção à infecção pelo vírus HIV disponibilizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para grupos de pessoas vulneráveis ao vírus que são profissionais do sexo; casais sorodiscordantes (quando um tem o vírus e o outro não); homens que fazem sexo com outros homens; pessoas trans e privadas de liberdade; usuários de álcool e outras drogas. A PrEP consiste na ingestão de um comprimido por dia que impediria o vírus de infectar o organismo da pessoa, antes dela se expor ao HIV.

Antes de iniciar a terapia PrEP o paciente passa por uma avaliação criteriosa. “A pessoa que se enquadra nos requisitos para iniciar a PrEP, passa por uma rigorosa triagem e realização de exames para descartar a infecção por HIV e só depois iniciamos a medicação. O paciente é acompanhado durante todo o tratamento e a medicação é ingerida enquanto ele estiver em situação de vulnerabilidade, ou seja, exposto ao risco de ser infectado por HIV”, afirmou a infectologista Luciana Barreto.

Dada a importância desse tratamento preventivo a diretora técnica do HDT, Heloina Claret defende ampla divulgação para que mais pessoas que estejam vulneráveis ou que preencham os requisitos para receber a PrEP, possam aderir ao tratamento. “Com isso, vamos conseguir diminuir de forma significativa o crescimento de pessoas infectadas com HIV”, concluiu.

Um estudo científico divulgado recentemente aponta uma redução de 25% no surgimento de novos casos entre homens que fazem sexo com outros homens em New South Wales na Austrália. Nesta região, a PrEP já foi amplamente implementada. Ainda assim com fatos positivos, a infectologista Luciana Barreto faz um alerta: “É importante ressaltarmos que a PrEP não substitui o uso do preservativo e nem outras formas de prevenção. Ela chega como uma importante aliada de todos os outros métodos preventivos existentes”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *