Cuidado com a conjuntivite no Carnaval

Após surto de conjuntivite em Caldas Novas, Goiás, desde as festas de final de ano, a médica Tatiana Brito explica os principais cuidados para evitar contágio dessa e outras doenças oculares

Por Adriano Marquez, de Goiânia/GO
Crédito da foto: Fernando Monteiro

Com a chegada do Carnaval, que começa a partir do próximo final de semana, e o recente histórico de surto de conjuntivite na cidade de Caldas Novas, aumenta a preocupação dos foliões, principalmente que se destinam à região, em relação ao contágio de doenças oftalmológicas. No entanto, apesar de grandes aglomerações serem propícias à proliferação de vírus e bactérias que provocam a doença, a médica oftalmologista Tatiana Brito (foto) avisa que adotar alguns hábitos são cruciais para evitar a contaminação.

Para evitar a conjuntivite, e outras doenças oculares, e poder aproveitar o Carnaval, Tatiana lista cinco medidas preventivas fundamentais. São elas:

– Lavar o rosto e as mãos com frequência;
– Evitar coçar os olhos;
– Usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos;
– Evitar compartilhar toalhas;
– Não compartilhar esponjas ou produtos de beleza.

A conjuntivite é uma inflamação da membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular, o branco dos olhos; e o interior da pálpebra. Especialista em diagnóstico e tratamento de doenças relacionadas à retina e vítreo, Tatiana explica que os sintomas mais comuns são os olhos vermelhos e lacrimejantes, ardência, dificuldade para abrir os olhos, dor e secreção.

Com a identificação desses sintomas, a orientação é procurar um especialista para um diagnóstico correto, especialmente, sobre o tipo de conjuntivite: viral, alérgica ou bacteriana – no caso de Caldas Novas, por exemplo, há indícios de que a maior parte dos contágios ocorreu devido à variação bacteriana da doença. A médica ressalta que, dependendo do caso, a melhora pode ser a curto ou longo prazo.

“A conjuntivite bacteriana é mais fácil de tratar, porque, com o antibiótico, em 48 ou 72 horas você já tem uma melhora significativa dos sintomas. A viral tem um período específico para começar e terminar, e o tratamento geralmente é feito com o uso de anti-inflamatório e lubrificantes em forma de colírio para o alívio dos sintomas. Já a alérgica já tem um tratamento a longo prazo para evitar o que causa a alergia, além de colírios”. Em todos casos, Tatiana Brito frisa que é necessário seguir com o tratamento, prescrito pelo médico, até o fim.

Óculos de sol

Colorido, clássico, lentes grandes, outras nem tanto assim. Não importa o modelo dos seus óculos de sol, o que vale aqui é a proteção de verdade dos olhos. Neste Carnaval, esta é mais uma dica que não deve ser deixada de lado.

Tatiana Brito aconselha a escolha de óculos de sol que bloqueiem os raios ultravioletas, com lentes adequadas que não causem distorções. O ideal, segundo ela, é sempre optar por comprar óculos em óticas e locais confiáveis. “Eles são como protetor solar para nossos olhos e resguardam nossa visão dos perigosos e incômodos raios ultravioletas”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *