Goiás é referência em gestão da informação em saúde

Sistema de gestão da informação em saúde desenvolvido em Goiás será implantado nacionalmente pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário passará a implementar nacionalmente a experiência de gestão de informações relacionadas à saúde pública desenvolvida pelo Governo de Goiás. O Conecta SUS – Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde Zilda Arns Neumann controla mais de duzentos indicadores que vão desde cobertura vacinal, a incidência de doenças, execução orçamentária e financeira dos recursos da Secretaria Estadual de Saúde (SES), obras, hospitais e equipamentos.

Na última quinta-feira, 5 de janeiro, o ministro Osmar Terra, acompanhado de uma comitiva formada por 18 servidores do Ministério e a médica Adriana Melo, visitou o ambiente tecnológico da SES, que permite a concentração de informações estratégicas para a gestão do SUS. “Eu já tinha conhecido, mas queria que também os secretários do Ministério vissem e vamos começar a montar um cronograma para trabalhar isso em nível nacional”, afirmou Osmar Terra.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde Leonardo Vilela, o Conecta permite a tomada rápida de decisões para melhorar a vida das pessoas. Por meio do Centro, são controlados mais de duzentos indicadores que vão desde cobertura vacinal, a incidência de doenças, execução orçamentária e financeira dos recursos da SES, obras, hospitais e equipamentos. “Isso nos permite fazer uma saúde pública de qualidade e, sobretudo, com a aplicação adequada dos recursos públicos que são tão importantes para a saúde”, avaliou.

Responsável pela primeira pesquisa que estabeleceu a relação entre o vírus da zika e o surto de casos de microcefalia, a médica Adriana Melo lidera um estudo sobre as doenças relacionadas ao zika, com apoio da Prefeitura de Campina Grande (PB). O projeto será expandido nacionalmente por meio do Programa Criança Feliz, do MDS. De acordo com a médica, serão construídos cinco centros nacionais, sendo o primeiro deles, em Campina Grande, com o objetivo de estudar essa doença e prestar assistência integral às crianças com sequelas. De acordo com a médica o Conecta SUS será usado nesses centros de pesquisa para apoiar os pesquisadores no planejamento e monitoramento dos pacientes e gestantes. “Não tem sentido sairmos do zero, quando já temos esse modelo, em Goiás, que vai nos ajudar na gestão e acompanhamento”, destacou.

A médica avalia ainda que o Conecta SUS permitirá que seja feito um acompanhamento adequado das crianças que tiveram problemas neurológicos em decorrência do zika, assim como das gestantes. “Temos hoje a disposição, a tecnologia que nos pode ajudar a acompanhar o desenvolvendo dessas crianças. Então, estamos vendo que outras variáveis poderemos acrescentar, ao programa”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze + um =