Pular para a barra de ferramentas

Natação infantil: benefícios e sobrevivência

Natação infantil: benefícios e sobrevivência

Em entrevista ao NS o personal Tio Kiu fala sobre os benefícios da natação infantil e  como ela pode ser útil à sobrevivência da criança

Alice Galvão, de Goiânia/GO

Desenvolvimento da psicomotricidade ou habilidades psicomotoras (movimentos coordenados de reação) e da capacidade cognitiva, fortalecimento da musculatura e das funções cardiorrespiratórias, aprimoramento da agilidade, força, equilíbrio, velocidade e coordenação. Estes são apenas alguns dos benefícios proporcionados às crianças pela prática da natação, além de ser uma atividade lúdica e relaxante, capaz de melhorar o humor, o apetite e o sono dos pequenos. “A natação é o esporte mais completo, onde são trabalhados todos os músculos do nosso corpo. Ela é praticamente o primeiro esporte de toda criança. No período sensório motor, de 0 a 2 anos, é a atividade mais recomendada”, explica o educador físico baiano Cleuton Rocha Lemos, 35, mais conhecido como Tio Kiu.

Residente em Goiânia/GO desde 2010, o profissional atende à domicílio desde 2014, assumindo a função de personal em natação infantil. Sua recomendação é que a prática da natação seja introduzida na rotina da criança a partir dos 6 meses de vida, idade em que o bebê já está mais desenvolvido, tornando mais fácil a execução das atividades propostas na aula. “Outro fator de extrema relevância é que as principais vacinas nessa fase já estão em dia”, ressalta.

Uma das maiores preocupações de Tio Kiu é com a busca da autonomia e auto salvamento da criança dentro da água. “Vale ressaltar que o afogamento é a segunda causa de morte na faixa etária de 1 a 9 anos”, informa. Sua metodologia é voltada para o nado sobrevivência, tendo como exemplo mais clássico o famoso nado cachorrinho, em que a criança se mantém com o rosto fora d’água. “Só que o aprendizado deste nado para crianças menores de 4 anos é muito difícil, então criei outro, parecido com o cachorrinho, com uma pequena diferença: em vez de a criança ficar com o rosto somente fora d’água, ela fica imergindo e retornando à superfície para respirar, enquanto procura a borda da piscina para segurar e sair, ou pedir por socorro”, explica. E completa, entre risos, que esta modalidade foi designada de Golfinho Saltitante por uma aluna de 2 anos e meio após executar o exercício.

De acordo com o profissional, o atendimento domiciliar e personalizado torna o aprendizado mais rápido. Além disso, diferente do que acontece na maioria das escolas de natação, em que os pais ou responsáveis pelas crianças na idade de 0 a 3 anos precisam entrar na piscina para acompanhar as aulas, nas aulas particulares isto não é necessário.

Formado pela Universidade Católica do Salvador desde 2005, Tio Kiu marca presença em congressos e palestras sobre natação infantil, sendo que em 2016 participou da oitava edição do maior congresso brasileiro de natação infantil, realizado em São Paulo, pelo INATI (Instituto de Natação Infantil). Ele conta que a sua paixão pela especialidade surgiu logo no primeiro semestre de sua graduação, em 2001, quando um amigo lhe convidou para trabalhar em um resort, com recreação infantil.

Na foto: Tio Kiu com sua filha Maria Vitória, de 5 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 − 6 =