Preso Secretário da Saúde de Divinópolis de Goiás

Operação do Ministério Público de Goiás, com apoio das Polícias Militar e Civil, desarticula esquema criminoso

Por Alice Galvão, de Goiânia/GO
Editado do texto original de Ana Cristina Arruda/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO, com informações da Promotoria de São Domingos

secretario-da-saude-de-divinopolis
Artênio Guimarães Ataídes, Secretário de Saúde de Divinópolis de Goiás, preso na Operação Urano

Nesta quarta-feira, 21, o Ministério Público de Goiás, com o apoio das Polícias Militar e Civil, prendeu o Secretário de Saúde de Divinópolis de Goiás, Artênio Guimarães Ataídes. O esquema envolvia fraudes em licitações da saúde, falsificação de documentos, emissão de notas fiscais sem serviço, fraudes em abastecimento de veículos, entre outros.

A ação teve apoio das Polícias Militar e Civil e foi parte da “Operação Urano” de combate à corrupção. Culminou ainda com a prisão do Secretário de Finanças, Valdiran Messias dos Santos, e de Administração, Ismar Batista dos Passos. Foram presos também o gestor de Controle Interno, Edmar Alves da Silva, o contador Homar Alves Amaral e três integrantes da Comissão de Licitações: o presidente, Marcos Antônio dos Santos, Joana de Torres Quintanilha Santos e Renison Rodrigues Guimarães.

Foram cumpridos oito mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão. As investigações, realizadas por seis meses pela Promotoria de Justiça de São Domingos, comarca da qual Divinópolis é distrito, revelaram a existência de um esquema criminoso instalado na prefeitura, voltado para a prática de crimes contra licitações, falsidade ideológica, corrupção passiva, peculato (desvio de recursos públicos) e associação criminosa. A apuração teve apoio do Centro de Inteligência (CI) do MP, que auxiliou, inclusive, no cumprimento de dois mandados judiciais em Goiânia – um de prisão e um de busca e apreensão, ambos no mesmo endereço. Os demais mandados foram cumpridos em Divinópolis. As ordens foram expedidas pelo juiz Fernando Oliveira Samuel.

Os presos e o material apreendido foram encaminhados para o Fórum de São Domingos. O promotor de justiça Douglas Chegury esclarece que, com a prisão dos investigados, serão ouvidas novas testemunhas e reunidos outros elementos de prova para o oferecimento da denúncia criminal.

A operação recebeu o nome de Urano, em referência à ação deflagrada pelo exército russo contra as forças alemãs na II Guerra Mundial durante o inverno e que culminou na derrota nazista. A articulação dessa estratégia de guerra teve início em setembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *