Reunião pública debate intoxicação por benzeno

Secretaria da Saúde de Goiás promove reunião pública sobre o Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental das Populações Expostas ao Benzeno no Estado de Goiás

O encontro acontecerá no dia 31 de outubro, das 8h às 12h no Auditório do SESC de Anápolis, localizado na Avenida Santos Dumont esquina com Zeca Louza, bairro Jundiaí. Este projeto, desenvolvido desde 2016 pelo Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest) e executado, nos municípios de Anápolis e Formosa, tem por objetivo implantar ações de intervenção nos ambientes de trabalho – em geral postos de combustíveis – para avaliar e fiscalizar processos e condições de trabalho da população exposta ao benzeno. A substância é encontrada na gasolina, aditivos e óleos lubrificantes, principais produtos comercializados nos postos de combustíveis. O benzeno é considerado a quinta substância de maior risco à saúde, segundo programa das Nações Unidas de Segurança Química.

Na terça-feira, será realizada a primeira reunião pública do trabalho desenvolvido em Anápolis. O encontro contará com a participação de representantes da SES-GO, das secretarias municipais de Saúde e Meio-Ambiente e do Ministério Público. Um dos destaques será a palestra do especialista Alexandre Jacobina de Brito, ex-coordenador do Centro de Saúde do Trabalhador da Bahia e especialistas em intoxicação por benzeno.

Os técnicos do Cerest apresentarão os resultados das inspeções e pesquisas realizadas, quanto aos impactos no meio ambiente e na saúde de trabalhadores e moradores vizinhos aos postos de combustíveis.

Os dados preliminares das pesquisas mostram o desconhecimento dos trabalhadores e da população quanto aos riscos a que estão expostos. Há desconhecimento também sobre as medidas que podem minimizar os riscos e prevenir danos à saúde, como por exemplo, o não abastecimento até a boca do tanque de combustível, o famoso chorinho. Os frentistas também não sabem do perigo do uso de flanelas para limpeza dos veículos e bombas.

A gerente de Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador da SES-GO, Tânia Vaz, explica que a exposição silenciosa, progressiva e nociva dos trabalhadores ao benzeno, que é cancerígeno, é tema constante de ações, regulamentações e debates em todo o território nacional. Segundo ela, a intoxicação por essa substância, por inalação de gases ou aspiração de formas líquidas, pode causar sonolência, tonturas, cefaleia, náuseas, dificuldade respiratória, convulsões, anemia, leucemia, alterações cromossômicas, neurológicas e neuropsicológicas, do sistema auditivo, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *