Saiba o que são e como funcionam as “pílulas da beleza”

Inseridos na categoria dos alimentos funcionais os nutricosméticos prometem ajudar o corpo a atingir o índice diário ideal de nutrição

As famosas “pílulas da beleza” são nutricosméticos pensados para suprir as deficiências de nutrientes, resultantes da alimentação desequilibrada, pouca absorção de vitaminas, minerais e outros componentes, que influenciam diretamente na saúde dos cabelos, pele e unhas. São suplementos vitamínicos concentrados que tem como objetivo cuidar do corpo de dentro para fora.

De acordo com a médica dermatologista Oriete Leite, membro especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, a suplementação oral apresenta benefícios adicionais à alimentação saudável. “Existem diferentes tipos de nutracêuticos (junção das palavras nutrientes + farmacêuticos), cada um com uma finalidade e composição que visa otimizar os processos do organismo para atingir os resultados desejados a médio e longo prazos”, explica.

Nosso corpo produz agentes que podem combater os radicais livres, mas para isso precisaríamos de uma alimentação totalmente equilibrada. Entretanto, nossa dieta pode não suprir completamente tais necessidades e é aí que entra a suplementação.

Alguns destes produtos, ricos em vitamina C, Luteína e Licopeno, possuem propriedades antioxidantes, que neutralizam radicais livres e promovem a normalização da composição lipídica da barreira cutânea, garantindo melhora na hidratação e aspecto da pele.

Aliadas aos procedimentos dermatológicos não invasivos, estas pílulas podem ter resultados surpreendentes. Segundo Oriete, a alta concentração de luteína contribui para a boa saúde da pele. “A luteína, assim como o licopeno, atuam como potentes antioxidantes celulares, impedindo danos oxidativos da radiação ultravioleta sobre os queratinócitos, fibroblastos e a matriz extracelular. A associação com as vitaminas C, E e D3 potencializa a ação preventiva contra o processo de envelhecimento, atuando na hidratação, elasticidade e  fotoproteção oral também contra à luz azul”, complementa a dermatologista.

A suplementação oral apresenta benefícios adicionais no combate ao envelhecimento. Diversos estudos científicos apontam o aumento da proteção cutânea contra os efeitos oxidativos da radiação UV, além da estimulação da produção de colágeno. Oriete ressalta ainda que “no inverno as baixas temperaturas e umidade do ar fazem com que a pele sofra perda de água, o que a deixa danificada, opaca e com descamação”. Ela também ressalta que o uso destas substâncias deve estar associado a uma alimentação equilibrada e estilo de vida saudável, além de não substituir o uso de protetor solar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *