Saúde dos trabalhadores de postos de combustíveis

Projeto da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES) desenvolve ações de monitoramento de riscos do benzeno para a saúde dos trabalhadores de postos de combustíveis

O objetivo do projeto de “Vigilância da Saúde do Trabalhador e Saúde Ambiental das Populações Expostas ao Benzeno” é implantar ações nos ambientes de trabalho (em geral postos de combustíveis), para avaliar e fiscalizar processos e condições de trabalho da população exposta ao benzeno.

A substância é encontrada na gasolina, aditivos e óleos lubrificantes, principais produtos comercializados nos postos de combustíveis a varejo. “O benzeno é considerado a quinta substância de maior risco à saúde, segundo programa das Nações Unidas de Segurança Química”, diz a gerente de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Tânia Vaz.

A exposição silenciosa, progressiva e nociva dos trabalhadores ao benzeno – que é cancerígeno, tem sido tema constante de ações, regulamentações e debates, em todo o território nacional. A intoxicação por essa substância, por inalação de gases ou aspiração de formas líquidas, pode causar sonolência, tonturas, dor de cabeça, náuseas, dificuldade respiratória, convulsões, anemia, leucemia, alterações: cromossômicas; neurológicas e neuropsicológicas; do sistema auditivo, entre outros.

Projeto

O projeto é desenvolvido pelo Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest) e executado, inicialmente, no município de Anápolis, nos postos de revenda de combustíveis a varejo. Atualmente, o trabalho também está sendo executado no município de Formosa, com proposta de implantação nos demais municípios-sede dos Cerest: Itumbiara, Ceres, Rio Verde e Goiânia.

O estudo busca entender os prejuízos causados pela substância, tanto para os funcionários dos postos, como para o meio ambiente da região próxima ao estabelecimento. Os dados coletados e as informações serão utilizados como ferramentas para a construção de conhecimentos específicos na área, para elaborar propostas e recomendações que priorizem ações de intervenção e prevenção para monitoramento e controle de riscos e agravos.  A finalidade da pesquisa é obter melhorias nas condições de saúde e segurança dos trabalhadores de postos de combustíveis e da população exposta ao benzeno.

“No fechamento da amostragem foi identificado completo desconhecimento do trabalhador sobre esses riscos, por exemplo, muitos fazem abastecimento do combustível até a boca do tanque e usam flanelas que ficam embebidas do produto”,  esclarece Andreia Silveira, técnica em Saúde da SES.

Segundo ela, os funcionários desconhecem os riscos que estão expostos. Além dessa fiscalização por amostragem será realizada audiência pública com vários autores envolvidos, tais como Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, Sindicato Patronal, Sindicato dos Trabalhadores e Ministério Público Estadual. “ Mostraremos os dados dessa pesquisa para propor recomendações de adequação desses ambientes e minimizar os fatores de risco”, pontuou.

As ações estão sendo desenvolvidas em parceria com a Vigilância Sanitária Municipal, Vigilância Ambiental, CEREST Regional, Regional de Saúde, Secretaria de Meio Ambiente do município, Ministério Público do Trabalho, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE/MTE) e Ministério Público Estadual (MP-GO). “O trabalho integrado e articulado entre os setores contribui para o fortalecimento de ações mais efetivas e eficazes”, conclui Tânia Vaz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *